Amar? Have you SURE?

Ou como você deveria realmente arrumar um advogado antes de começar qualquer relacionamento amoroso.

A verdade é que nós fazemos as pessoas acharem que é tudo um mar de rosas. Que tudo é azul e que não há NADA de ruim em amar. Mas isso, ISSO, não é verdade.

A verdade é que não há nada, NADA, mais complicado do que o amor. Nem minha mãe. E olhe que ela é bastante complicada, tenha certeza absoluta. Enfim, ninguém me disse o que eu tinha que passar quando o meu coração inventou essa história de amar e ser amado. Puseram tudo nas letras miúdas do contrato.

Ninguém em disse que eu tinha que sentir tudo com tanta força. Sim, tudo bem, eu sinto muita felicidade em olhar aqueles olhos cor-de-mel dele. E também me sinto no céu quando ele me abraça forte e, principalmente quando diz que me ama. Me sinto completa. Me sinto extremamente bem e mais: sinto como se fosse a coisa certa a fazer desde o começo. Quero dizer, nós dois, o nosso relacionamento. 
Tudo bem, essa parte é ótima e tudo, mas veja bem: se a parte boa é muito BOA, a parte ruim é muito RUIM.

Primeiramente, como você sabe, com toda a certeza, que a outra pessoa te ama como você a ama? E se ele amar menos? Afinal, só quem sabe o quanto ama é a própria pessoa! Não tem nenhum amômetro para medir ou coisa assim (que pena!). Além do quê, esse negócio de amor e talz, deixa você muito suscetível a qualquer coisa que sua outra metade faça. Um atraso, uma frase impensada, um desleixo qualquer e pimba: você está jogada em cima de seus lençóis, chorando não só as pitangas, mas as acerolas, uvas e talvez até os morangos.

Você fica sensível. E claro, não pode gritar com sua mãe. Não que eu grite (er, er). Mas enfim, não pode fazer nada do gênero, por quê ela vai usar seu amor ultra por seu gato como arma: você fica de castigo de namorado! Acreditem, descobri isso da pior maneira possível. Que é, ÓBVIO, ficando de castigo. Mas, claro, eu não fiquei de castigo por essa razão, por quê, como disse, não grito com minha mãe. Er.

E além de tudo, suas amigas encalhadas (HUHU!) não querem sair com você e seu namorado e reclamam que você só fala dele. E você sente que só é completa quando está com ele. E você sente falta dele o tempo todo e o tempo que você passa ao lado dele parece miseravelmente curto. É tudo uma agonia, um stress. Nossa, podem ter certeza, esse negócio de gostar de alguém não é fácil.
Não estou reclamando nem nada. E nem posso. Amar é como vender a alma ao diabo: não tem volta. Eu já amo e agora é tarde para voltar atrás.

E eu não voltaria. Jamais. Por quê mesmo sendo um preço alto a pagar (a sensibilidade excessiva, a suscetibilidade a aproveitadores de sentimentos alheios e etc.), vale totalmente a pena. Só o fato de saber que alguém gosta de você, alguém que, impressionantemente, você também gosta (vocês sabem como isso é difícil de acontecer!). E que te agüenta nas suas TPM’s, mau-humores e . E que te olha nos olhos e diz que te ama e você se sente a mais plena das criaturas, a mais feliz, a mais abençoada.

Além do quê, para quê medir o amor? Mesquinho é o amor que pode ser medido, alguém disse alguma vez. E não é que era verdade?

PS.: Ok, não é certo, mas eu grito com minha mãe. Quem nunca gritou, atire a primeira pedra! Ou não, se quiserem preservar seus monitores!
PPS.: Esse foi para você, meu presente.
 

Anúncios

11 thoughts on “Amar? Have you SURE?

  1. Td o amor que pode ser medido é mesquinho, mas vc sempre pode amar mais um pouco =)
    o AMOR é impossível de ser escrito, é apenas o amor…
    e por mais que eu fale aki, vou continuar nos clichês do amor
    =****************

  2. Sinceramente??
    Acho que as coisas boas que o amor traz são infinitamente superiores as coisas ruins…
    E, no fundo, no fundo, a gente gosta de complicar. Porque será?
    E quanto a medir? Nem tem como…ele não é infinito?
    🙂
    Adorei o post!!
    Qualquer coisa posso agendar um horario pra você no meu escritório!
    Hahaha
    Beijos e saudades!

  3. Aaah, me identifiquei total com esse post, Mandy! É exatamente assim q me sinto! Mas a parte do castigo não, meus pais ñ me dão esse tipo d castigo, ainda bem! hehe

    Bjubju

    ps.: não, eu não voltei a blogar, é que tenho os seus feeds no meu Google Reader, aí resolvi ler e dar uma passadinha aqui. Faz tanto tempo, né? ^_^

    Até + ;P

  4. É pesando na balança mesmo que vamos vendo quanto um relacionamento vale a pena…
    E que ele faz mal, que machuca de vez em quando, mas que o bem que ele faz é maior e a alegria que traz junto consigo é maior, então, está valendo a pena! 😉
    Bjitos!

  5. Oie!
    Hum… eu nunca entendi o amor…
    Aliás ninguem nuca entendeu o amor…
    Ele é inexplicavel…
    O sentimento mais nobre, mais puro e complicado…

    PS: Uii… táh apaixonada!! hehehe

    bjuss fofaa!!

  6. Que texto mais lindo!
    E cheio de razão, claro. Amar é inexplicável e contraditório, não há jeito. Amar é arriscar uma série de coisas às quais nem sempre estamos dispostos a passar, mas ainda assim é aquele risco gostoso que no fundo todos nós queremos. E se tudo o que é bom é muito bom e tudo aquilo de ruim é bem ruim, posso afirmar da mesma maneira que apesar de todas as coisas, as boas ainda compensam as ruins, de longe.
    E não falo apenas de amor homem x mulher. Mas também amor de amigo, amor de irmão, amor de família. Basta exister alguém além de nós que os riscos aparecem, para o bem e para o mal.
    Eu me vi naquela parte em que vc fala sobre o tempo miseravelmente curto que passamos com estas pessoas.

    Bjooos fofa =)

  7. Ah, o amor. Pois é, coisinha complicada essa. Já amei e fui amada, talvez ainda seja e ame, mas é de uma maneira louca e diferente. É uma história que se arrasta há 8 anos. Não é namoro, pois ele não mora aqui e não deixamos de ficar/namorar com ninguém por isso… e nos vemos 2 vezes por ano. Às vezes até menos. Bastante louco.
    Não sou de ficar demonstrando por palavras o que sinto. Sempre por atitudes, até porque não curto melação, por mais que goste da pessoa. Não faz meu tipo.
    Me encontro bastante balançada por uma pessoa no momento, mas como ele também está longe, fica difícil. Oh! mundo cruel. Mas “vamo que vamo”.
    Beijos

  8. Quem ama é completamente egoista.Talvez sofremos tanto porque desejamos o que só cabe no mundo pessoal.E quando a pessoa ,vamos dizer ,desconhece a própria razão do eu ,acaba sofrendo mais ainda.
    É por isso que amar é para os fracos.Hehehehee

    Se eu fosse me pesar no tanto que eu amo meu amor ,acho que eu estaria totalmente obesa ,ou já teria tido um ataque cardiaco.
    heehee
    (:

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s