Vergonha própria e alheia.

Ou como você não sabe quando pode estar lidando com um louco.

No começo eu achei que era muita loucura da minha parte. Fazia isso escondido. Na verdade, ainda faço. Ninguém vai conseguir me fazer acreditar que isso é normal. A questão é que, um belo, estava eu servindo de analista para aquela minha amiga (Como eu disse, ela me considera competente o suficiente para ser sua analista. E eu já tenho o cargo há muito para me livrar. Pena!), quando ela faz uma revelação fascinante:

– E você sabe – falou minha amiga, despejando todas suas incertezas no meu ombro excessivamente amigo – eu não sei mais o que eu faço. Eu já ensaiei no espelho trezentas vezes, mas não dá e…
-Você O QUÊ? – interrompi, enlouquecida. Será que eu realmente havia ouvido aquilo. Não, não…NÃO PODE SER!
-O quê o quê? – perguntou ela, desnorteada por ter seu monólogo interrompido.
-O que você falou! – expliquei, impaciente – Sobre ensaiar no espelho!
-Ah, sim! – assentiu ela, entendendo – O que é que tem?
-Você ensaia no espelho? – perguntei, boquiaberta.
-Sim, o que tem isso? – perguntou ela, na defensiva.
-Nada, nada..! – falei, saindo pela tangente.

Sim, ela fala sozinha. De frente para o espelho. Ensaiava situações hipotéticas que, provavelmente, não viriam a acontecer. Igualzinho a alguém que eu conhecia muito bem. Igual a mim. E, todo esse tempo eu pensei que era louca. Não que eu tenha chegado à uma conclusão contrária. Mas, enfim, descobri que não sou a única. O que me leva a crer que provavelmente tenha muitos mais loucos do que imaginava no mundo, apenas esperando por ser descobertos.

Como descobrir se tem algum louco desse gênero na sua casa:

  • Ele passa séculos no banheiro (onde, por acaso, tem um espelho enorme) supostamente tomando banho. Embora você ouça o barulho de água caindo um século depois dele ter entrado.
  • Você pergunta se ele está falando sozinho e ele diz que estava cantando.
  • Se você entra no banheiro de repente quando, por exemplo, ele estava lá apenas escovando os dentes, ele fica vermelho. E sem vestígios de escovação dental.
  • Você entra no seu quarto e ele estava fazendo diversas caretas (conhecidas na minha terrinha como mungangas) e só falta morrer se você toca no assunto ou pergunta se ele estava falando sozinho.

PS: Cheguei a conclusão que minhas situações hipotetizadas têm uma coisa boa: Posso utilizá-las aqui.
PPS: Não, essa não é uma situação hipotética.
PPPS: Antes que me perguntem, não, eu não contei à ela que falava sozinha. O que foi? Ela também não perguntou, perguntou?

Sinceramente, não tem coisa que eu deteste mais do que comentários chulos. Outro dia, dei uma lição de moral básica numa guria que deixou um comentário desses aqui. Maior falta de consideração. A pessoa se dá ao trabalho de escrever toda semana para vir um ser acéfalo desse e deixar um comentário tão descerebrado como amei seu blog, beijos. Sinceramente, se você for desse gênero de visita, NÃO ME VISITE. Estou com a Mari, não curto quem não usa o cérebro, pensando que gasta.

Anúncios

15 thoughts on “Vergonha própria e alheia.

  1. Ahhhh, eu faço isso até hoje!! Eu me faço rir muito, cara, haha.
    Tem que me ver cantando na frente de um espelho e fazendo pose, haha, sim eu faço tudo isso!
    Sei lá, acho que nascemos para o teatro.

    Tem muitas coisas, que muitas pessoas fazem e que a gente nem imagina que seja possivel. Fato.

    Velho, eu já arranjei briga por comentários chulos. A menina copiava e colava o mesmo comentário para um monte de blogs que por acaso, eram todos amigos meus. Fui discretamente no blog dela e falei “Querida, é feio pedir comentários aos outros, ok? Beijos.”
    Depois ela foi toda brava no meu blog reclamar dizendo que nunca fez isso.
    Pra essas eu rio!

    Enfim…

    Beijo!

  2. Amanda, voce fica bancando a analista de suas amigas, e é quase uma louca (acho que acabei de perder sua amizade)… Olhando para a minha classe lá na facul (eu incluso) voce combina certinho. Certeza que vc não quer deixar a historia de fazer jornalismo de lado e cursar psicologia? rs
    Eu não passo muito tempo na frente do espelho, mas digamos que já fiquei ensaiando frases muitas vezes, e por sinal nunca as disse =/
    Essa sua amiga é masoquista, realmente ao inves de dar uma mão, o mais aconselhado é um pontapé rs.
    Ah, e comentarios como oque eu fiz acima são mesmo insuportaveis…
    ps:”conhecidas na minha terrinha como mungangas”, Onde voce mora meu Deus?
    Beijjooss 😉

  3. Olha, acho que de louco todo mundo tem um pouco e falamos sozinho sim. Mas não cheguei ao ponto de ensaiar na frente do espelho algumas situações, porque sei que algumas reações só vem quando estamos vivendo aquela coisa, sentindo.
    Bjitos!

  4. Falar sozinha eu falo bastante, mas é só aqui dentro da minha cabeça mesmo. Eu vivo rindo na rua… é engraçado que Às vezes outras pessoas sorriem pra mim tb. ahaha eu me auto-divirto. Mas nem acho tão estranho assim falr na frente do espelho… tá aí, vou fazer isso um dia (:

    Há, comentários chulos também me matam… morro de raiva. Até que tive sorte de não ter aparecido nenhum sem noção lá no meu blog ainda, mas não deve demorar a aparecer.

    Preciso responder seu email! ahá.
    Beijão

  5. Mas falar sozinho é algo comum. Acho que mais da metada das pessoas que conheço falam sozinhas!

    Ah, eu falo sozinha no meu quarto, mas no banheiro eu nunca falei… Hehehehehe…

    “Mungangas”? Palavra estranha, mas curti!

    Sua amiga parece ser diivertida, mas também nota-se que ela gosta de contar problemas/preocupações demais.

    Beijão!

  6. Issaê,bora chutar as miguxas que não lêem o que a gente escreve! Pô, mó frustrante. Você passa mó cara escrevendo pra miguxa não ler e escrever qualquer coisa. Se foder viu. ¬¬

    Então, não te achei tão louca assim… Já ensaiei muito na frente do espelho, o que é jóia porque você tenta se controlar pranão fazer papelde idiota na frente da pessoa… Enfim… Eu canto na frente do espelho! Não espalhe, mas fico morta de vergonha qaundo alguém me pega. Porque quase sempre eu to dançando também! Daí fico mega master sem graça!

  7. Eu faço essas coisas desde pequena.Eu tinha amigos imaginários ,era legal.Mas nada que impedisse a minha vida *Normal…:D
    Mas o problema é quando isso tudo passa de uma forma exagerada a fazer parte da vida da pessoa ,ai gera um transtorno.Muhauehua.
    :DDD

  8. eu falo sozinha tbm, mas nao na frente do espelho e escondida de ngm, falo na cara dura, tipo, me xingo e tals huauhshuuhauhs
    todos nohs somos confissoes esperando por serem ouvidas =D
    e sobre a acefala q comentou, n dah bola, existe mtus “miguxos” q fazem isso axando q td blogueiro eh otario ¬¬’
    ;*

  9. não curto quem não usa o cérebro, pensando que gasta. [2]
    adorei essa frase! é isso mesmo cara! poxa, já q tá no blog, lê! e se não lê, não comenta, pow
    aheuhaiehaieuhaiehaiuehaieh
    é foda, fazer o q!

    eu falo com a minha calopsita! falo sozinha tbm, mas sempre pego minha calopsita prá usar de ‘desculpa’
    aheiuaheiuaheiuaheiuh
    beeeeijo!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s