Dói sem você aqui.

Hoje eu estive lá. Me fingi de forte, como sempre. Ah, claro, ele está bem melhor do que eu? Para quê se preocupar, não é mesmo? Tudo mentira. Nem podia deixar do ser. O amor que eu sinto por você é grande. Tanto que não consigo agir assim. Eu me preocupo quando você está longe. Eu fico pensando se você está bem, se está saudável. E mais, eu sinto sua falta. Mais do que quero expor. Expor não é bom, as pessoas ficam com peninha de você e eu estou cansada de ser a coitadinha. Mas tem o seu lado ruim. As pessoas pensam que eu estou tão nem aí que falam de você o tempo todo. Não quero falar sobre como tem loiras em Porto Alegre, como faz frio lá e como é realmente perto dos lugares onde está estourando a gripe tipo A. Não quero pensar em você. Embora eu pense o tempo todo e não possa, mesmo, evitar isso. Não sei, não é como se eu pudesse impedir. Não tem um botão de ligar e desligar, como eu queria que tivesse. Para eu ligar só quando você já estivesse aqui. Afinal, dói.

Doeu hoje olhar aquela casa, que tem tanto a sua cara. E encontrar todo mundo, menos você. Doeu usar a sua toalha e ver as suas roupas estendidas no varal. Doeu olhar para as plantinhas que você cuida – santos pés de acerola – e para a sua cama. Doeu olhar para sua cadela, aquela pitbull louca e ver, nos olhos cor-de-mel dela uma lembrança – mais uma – para os seus olhos cor-de-mel. Doeu sentir seu cheiro ali, inconfundível e insubstituível.
E dói, mais, querer sentir seu calor e não poder. Falar correndo com você, por causa dos malditos interurbanos, caros e problemáticos. Tenho vontade de morrer e, ao mesmo tempo, ficar viva. Afinal, você é uma das mais fortes razões da minha felicidade diária, quase invisível no dia a dia, a ausência, porém, é sentida quando você não está. Arquiteto os mais loucos planos, mas sei que terei que te esperar até domingo. E rezo, rezo pro domingo chegar. Só pra te ver de novo. Só para te ter de novo nos meus braços, cheirar seu pescoço, beijar sua boca… ser sua e estar contigo.

Amanhã estarei lá de novo. E me fingirei de forte, like ever. Mas dentro de mim, eu sei. Eu sou toda e unicamente sua. E estou sentindo sua falta.

Anúncios

3 thoughts on “Dói sem você aqui.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s