Você, amor.

Amanhã nós completamos mais um mês juntos. Que coisa. Esse negócio de amor é mesmo totalmente fora do sério. Diferente. Esquisito. Esquisito mesmo é que eu nunca tivesse atinado antes para o fato de que você é o meu outro pedaço, o punhado de qualidades e defeitos que me completa. Que torna a minha vida mais viva, na falta de palavra que demonstre toda a diferença de uma vida com você. Eu faria a comparação clichê da vida cinza (ou preto e branca) e da vida com cores. Mas gosto de preto e branco. E já usei clichês demais nos meus textos sobre você. Mas é que o amor, apesar de diferente, é igual. Sinto como se zilhões de pessoas o tivessem amado, por que seus sentimentos são tão iguais aos meus. Mas ao mesmo tempo sei que não há ninguém nesse mundo que te ame da mesma forma que eu te amo, mesmo que no fim, todas as pessoas terminem se explicando da mesma maneira. Eu me sinto como se tivesse vivido toda a minha vida só para te conhecer. Eu sei, eu disse que não colocaria clichês nesse texto. Mas eu também disse outro monte de coisas impossíveis de ser feitas. Quem liga? O importante não é ser verdadeiro? Estou sendo. Do fundo da minha alma. Então. Como eu dizia, realmente parece que vivi todo esse tempo só para te conhecer. É como se eu fosse feliz até certo ponto. Ou como se eu achasse que era feliz mas, na verdade, nunca tivesse conhecido a felicidade pura e verdadeira antes de te conhecer. Quem é que conhece a felicidade verdadeira antes de conhecer o verdadeiro amor? Falo isso sem nenhum medo de errar, sem querer ser mais nem menos que ninguém. O fato é que ninguém se sente completo com amor de pai, mãe ou amigos. Por que eles não nasceram pra te completar, só para te apoiar, estar lá por você e todas essas coisas. Mas eles não vão fazer você se sentir outra pessoa completamente diferente. Ou igual, mas ainda assim, diferente. Cheia. Preenchida. Finalmente. Foi como encontrar algo que eu nem sabia que estava procurando. Melhor assim. Descobrir aos poucos tudo o que você poderia me oferecer e descobrir mais e mais a cada dia. A cada minuto ao teu lado, entrego-me. Entrego-me a cada olhar meloso em sua direção. Enquanto faço um cafuné, observo teus olhos fechados, teu semblante calmo, e desejo do fundo do meu coração que você realmente me ame o quanto eu te amo. Que um dia eu não acorde e perceba que tudo foi um sonho muito bonito. Bonito demais. Perfeito.

Não perfeito à moda dos contos de fada. Não. Você não é perfeito, assim como eu não sou. Você não é rico, não é príncipe de um reino poderoso e não tem um cavalo branco – ou de qualquer outra cor, vale salientar. Eu não sou uma princesa, tenho uma pá de espinhas no meu rosto, um humor bem estranho que certamente não contém é só o doce e terno comportamento das princesas dos contos de fada. Não. Acho que seria muito chato se fosse assim. Provavelmente eu já disse isso, mas não custa dizer de novo. Seria realmente chato. Quer dizer, eu sou apaixonada por você, não por um estereótipo qualquer de príncipe. Batalharemos o nosso tanto pelo nosso amor e para ficarmos juntos e felizes para sempre, sim. Mas de um jeito mais convencional e, por que não, mais bonito. Mais fiel e, de certa forma, certo. Por que não deve ser certo conseguir as coisas de forma tão fácil como acontece nesses contos de fada. E você conhece o ditado: O que fácil vem, fácil vai. E eu não quero que você se vá. Eu quero você pra sempre. E se pra isso vamos ter que suar um pouco a camisa, I REALLY DON’T CARE. A única coisa com a qual eu me importo é você. Ao meu lado. Continuando a preencher esse vazio que eu nem sabia que tinha, mas terminei por descobrir, depois que você passou a fazer parte da minha vida. Um vazio que parece me engolir, toda vez que você me manda um beijo e acelera o Tornado, noite afora, em direção à sua casa. Eu vejo a minha casa ir embora, você. Me sinto tão desabrigada quanto qualquer um desses mendigos por aí. Frio, falta do calor do teu peito, do teu braço. Saudades das batidas do teu coração junto ao meu ouvido. Um ruído tão familiar quanto aquele assovio do vento nas janelas. Mas certamente muito mais acolhedor que o mesmo. Fome dos teus beijos, dos teus abraços. Os teus beijos que me passam mensagens que algumas vezes as palavras nunca conseguirão passar. Aquele amassar de lábios que demonstra muito mais do que a falta que sentimos um do outro, da necessidade de estar.  Junto. O abraço. Os abraços. Não há lugar mais acolhedor pra mim. Não há lugar onde eu consiga chorar melhor do que no teu ombro. Das tuas palavras, por vezes bobas. Que me fazem rir até nos momentos que eu estou em pedaços. Eu me sinto tão sozinha, sem você. Tão longe de mim. Tão despedaçada. Nem sei como sobrevivo.

Na verdade, eu sei. Se todo esse tempo sobrevivo esses dias nos quais você está longe é por que eu sei que vou te ter, depois. Que você chegará aqui e me esperará com esses olhos cor-de-mel acesos e risonhos, felizes. Felizes por me ver. A mim, ser tão comum e de poucos atrativos. E me abraçará forte em teus braços e dirá que sentiu minha falta. Eu terei vontade de chorar, como estou chorando agora, enquanto escrevo isto. Mas me segurarei, ficarei e ponta de pés e sussurrarei que a minha saudade é muito maior. É por isso que eu ressuscito a cada vez que encontro vocês e seus braços. Você me torna a vida. Você me faz sentir que a vida faz algum sentido, no final das contas embaralhadíssimas. Você, amor. Você é tudo. Todo mundo sabe  disso e eu vou te fazer saber por todos os dias das nossas vidas. Para sempre.

Meu coração só tem um dono, você. Ele é seu, irrevogavelmente.

Anúncios

14 thoughts on “Você, amor.

  1. Imagine só, se fosse um conto de fadas, realmente não seria perfeito o relacionamento que voce e Wesley tem, ou que eu e meu namorado temos, pelo simples fato de não ser real. Me ensine a escrever, Amanda. E que continuem sendo muito felizes! *-*

    Beijos, diva de Recife.

  2. E tá todo mundo numa onde de amor.
    Amanhã (dia 18) eu completo cinco meses de namoro.

    É a melhor sensação do mundo, não é mesmo? Tão bom ficar junto tanto tempo com quem a gente ama.

    Parabéns!

    Beijo.

  3. que texto mais lindo! você, com certeza, fez o máximo de esforço para transcrever o seu sentimento, que é lindo e verdadeiro, mas eu sei também que apesar de todas essas palavras, você não conseguiu dizer tudo, porque isso é impossível.

    amor não se explica. quem não ama, ou nunca amou, nunca compreenderá o que significa um sentimento como esse :*

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s