Lazarus, Travie McCoy #noshuffleday

Então, como no #noshuffleday passado eu escolhi um album não tão recente assim, resolvi agora pegar um cantor para apresentar para vocês, meus caros leitores. Quero que saibam, antes de mais nada, que eu tive que desviar de 837 obstáculos diferentes para fazer essa postagem, desde meu estágio que é uma loucura na segunda-feira até a um trabalho surpresa nem tão surpresa assim que simplesmente, UHUL, apareceu do nada, quando eu jurava que ele era para a outra semana. Mas, enfim, o que importa é que eu estou aqui, lindja, postando para vocês enquanto escuto o CD que é objeto do meu post.

Então, ladies and gentleman, com vocês, Travie McCoy!

Então. Descobri o Travie através de um amigo que descobriu por uma amiga. Certo, vamos dar nome – e links – à boiada, por que né? Estou estudando Hunter Thompson e ele não tinha medo de pessoas públicas e tal. Então, na verdade a culpa foi de Denny e de Rebecca.  Provavelmente a maior parte da culpa é de Rebecca por que, pelo que eu sei, foi ela que apresentou a Denny a bendita Billionaire, single do CD que analisarei. Essa é  também a música que me fez correr atrás do CD desse cantor, imaginando que ele fosse do gênero de Jack Johnson ou Jason Mraz. Mas, nada. O problema é que Billionaire é feita featuring Bruno Mars e esse sim tem um estilo meio light, praia mesmo. Escutei o EP dele, que foi tudo o que eu achei até agora. Depois faço um #noshuffledayapulso sobre ele. Mas esse post não é sobre ele e sim sobre McCoy. Onde eu estava? Ah, sim! Então, o tipo de música que ele faz não é parecido com os dos cantores que citei anteriormente. Ele é do Hip Hop e eu nunca pensei que diria isso, mas a música dele é muito gostosa de ouvir. Pode não ter um efeito calmante, como as de Jack Johnson, ou me fazer querer correr pra abraçar Weslley, como as de Jason Mraz, mas têm um sentimento positivo.

Não se preocupem, o hip hop dele não é nada do estilo 50 cent (embora eu goste de algumas músicas, não é exatamente o que eu escuto para relaxar). Nem tampouco é parecido com Ne-Yo ou something like that. Mas não me vem na cabeça nada com o que eu possa compará-lo. Enfim, vocês poderão tirar suas próprias conclusões com os vídeos que colocarei logo mais abaixo.

O album que escolhi, obviamente, é o Lazarus. Por que obviamente? Por que é o único que o cantor fez até agora. Não é emocionante escutar o albúm de estréia de alguém? Também acho, rs. O album foi lançado em junho desse ano nos EUA e tem dois singles – até agora – Billionaire e Need You. (Informações, obviously, da Wikipedia)

Mas vamos ao que interessa, as músicas que serão analisadas:

  • Dr. Feelgood
  • Superbad
  • Billionaire
  • Need You
  • Critical
  • Akidagain
  • We’ll be Alright
  • The Manual
  • After Midnight
  • Don’t Pretend

Seguirei aquele mesmo esquema de classificação: AMAY, GOSTAY, WHATEVER. Auto-explicativo né? É, imaginei que fosse. Entendam que, por ser um artista relativamente novo, são poucos os vídeo decentes que se encontram na internet, mas farei o meu melhor para colocar, pelo menos, uns vídeos que tenham uma acústica legal.

AMAY

  • Superbad

Não sei por que eu gostei dessa música. Na verdade eu sei, vai. O ritmo dela é gostosinho. E eu sempre gosto dessas músicas que tem um refrão forte. Por forte entendam C-H-I-C-L-E-T-E. It’s eleven-third-four ainda está grudado bem forte no meu cerébro como um pedaço de alguma coisa grudenta mastigada. Mas o que importa é que é gostoso de ouvir. Sobre o que fala a música? De modo geral, entendi que ele fala sobre viajar, estar por aí. E sentir como se pertencesse à estrada. Enfim, a letra não gera identificação em mim, é mais melodia, o som. Não encontrei um vídeo decente pra essa música, então vai só o áudio, que pelo menos está legal.

  • Billionaire

I wanna be a billionaire so fucking bad. Pois é, McCoy, E QUEM NÃO QUER?  A música é uma delícia de escutar e embora a letra não diga coisas lá muito profundas – é só algo falando sobre o desejo de querer ser um bilionário e o que ele vai fazer quando ele for um – o diferencial é o ritmo dela. Essa música aí é meio Jason Mraz. Como sempre fazem com os malditos vídeos oficiais, esse eu não pude incorporar no blog. Mas o link do vídeo é esse aqui. Apesar de que acho que todo mundo conhece Billionaire, mas se você ainda não conhece, NÃO PERCA TEMPO e clique logo no link para assistir o vídeo! 😉

  • We’ll Be Alright

Muito feliz essa música! Fala sobre ter tudo o que se precisa – amigos e a noite – para ficar bem. E tem um ritmozinho bem Jason Mraz, sendo que mais animadinho. Essa aí tanto a melodia quanto a letra são uma delícia de escutar e de cantar, respectivamente. So, c’mon: We are young. We run free. Stay up late. We don’t sleep. Got our friends.  Got the night. We’ll be alright. Confiram abaixo o vídeo – oficial, oh glória! – da música. 🙂

  • After Midnight

Essa aí começa com uma guitarrinha super gostosa. E o After midnight we are out of control (We outta control, We outta control, We outta control). Eu nem vou comentar nada sobre depois da meia-noite estar fora de controle por que olha, aí eu teria que mudar a categoria de #noshuffleday para #tmialert, né? Mentira, vou comentar sim:  é muito lindjo esse negócio de ficar fora de controle depois da meia-noite, mas vejam bem: eu trabalho e estudo. Meia-noite realmente não é uma boa hora pra ficar fora de controle. É hora de dormir, isso sim. Logo não me identifico com a parte do midnight. Mas out of control, bem. Eu tenho meus  – vários – momentos. Só não cito minha TPM por que ele parece estar falando sobre coisas positivas, rs. O vídeo abaixo é só o áudio, mas o som está bem legal.

GOSTAY

  • Akidagain

Back in the days when I was young, I’m not a kid anymore
But some days I sit and wish I was a kid again

Quem, de vez em quando, não deseja ser uma criança de novo? Eu não sei vocês, mas eu tinha a maior síndrome de Peter Pan quando eu tinha uns 10 anos. Não queria crescer, queria ser criança para sempre. Não sei se a culpa disso foi da minha mãe, sempre dizendo que eu era uma “bicha véia” já. Enfim, mas isso aqui nnão é hora nem momento para pensamentos divanescos. Gostei da música principalmente por que tem um coralzinho de crianças cantando e coralzinho de crianças sempre me ganha. Pra mim, essa é a principal razão para essa música não ter ido pra WHATEVER sem dó nem piedade. O vídeo abaixo só tem o áudio, mas de boa qualidade.

  • The Manual


Now we all make mistakes
But those mistakes just make us who we are
And not who we choose to be

Taí uma coisa em que acredito. Não são apenas nossas características positivas que nos faz ser quem somos, mas também nossos defeitos. A música é gostosinha de ouvir e é featuring T-Pain & Young Cash. Uma coisa que notei muito nesse CD é a grande quantidade de featuring. Não sei se considero isso como medo de se jogar sozinho nos mares medonhos da música ou como uma prova de amizade dos seus amigos do mundo da música, que querem impulsioná-lo. Enfim. O vídeo oficial – YAY – está aí abaixo para vocês conferirem com seus próprios olhos e ouvidos.

  • Don’t Pretend


Open up my chest and you’ll see a hole cavity where my heart use to be
Makings amends is out of the question, when you look into his pupils and I’m the reflection. ha ha

Ok, a única razão para essa música estar aqui, na minha opinião, é a ponte dela e o seu refrão. De resto, achei ela meio whatever. Mas dêem uma escutada no vídeo/áudio abaixo e confiram vocês mesmo. E também eu tô com uma preguiça já que olha.

WHATEVER

Como é o (meu) costume, dessas músicas vou apenas postar os vídeos e vocês mesmos julguem se elas mereceram ou não ficar nessa categoria. 🙂

  • Dr. Feel Good

Apesar de ter um ritmo animado, não me ganhou

  • Need You

  • Critical

Consideração final: Apesar de ser um album cheio de “ajudas” de outros cantores, o que torna difícil avaliar até que ponto a competência é do cantor do album ou do “ajudante”, é um album gostoso de ouvir no geral. Recomendo muito.

Anúncios

3 thoughts on “Lazarus, Travie McCoy #noshuffleday

  1. Você do Travis?
    sinceramente, prefiro ele na banda dele de origem o Gym Class Heroes…
    Adorava ao clipe que tinha dois anjinhos tentando juntar um casal! a música é até sample de uma outra música q gosto muito, mas enfim!

    Não gostei da viagem dele nesse álbum não;achei ele muito perdido, sem foco!
    eu até gostava dele quando ele namorava a Katy Perry… mas aí é uma outra história! hehehe

    Tá ótima resenha mandy!
    bjus!

  2. Só ouvi Superbad aqui, gostei bastante!
    Po, pelo comentário de cima acho que lembrei quem é esse cara… adoro o clipe dos anjinhos tb, não lembro o nome da música, mas me divertia sempre que passava *-*
    Mas não sei se é por causa da versão que a Claudia Leitte fez, mas sou meio traumatizada com Billionaire hahahhaha
    :***

  3. Se eu te falar que não sei o que é essa hashtag, você me perdoa, não perdoa? hahahahaha

    Suponho que seja algo como apresentar um artista. Acertei? x.x

    Então. Tenho tipo… uma música desse cara, e é a com o Bruno Mars. Muito boa, btw. Pelo estilo, as outras músicas devem ser boas também, o que significa que yay!, ótima sugestão. ^^
    ————
    obrigada pelos elogios ao blog :*

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s