AQUELE livro aberto: eu.

Tem horas que eu paro pra pensar no que Weslley disse. Que, um dia, eu vou ficar famosa, daí todo mundo vai saber tudo da minha vida, por que eu sou livro aberto e disponível para download na internet. E a razão dele ter falado isso foi o blog.

Por que né. Quem vem aqui SABE que eu sou mesmo um livro aberto. Diria mais, escancarado. Vocês sabem de todos os meus perrengues. Seja na faculdade, amigos ou família. Sabem de todos os meus amores. Na verdade, um só né? Weslley. Mas, na época que eu não tinha um único amor (aquela coisa da amores platônicos que todas nós trabalhamos quando éramos adolescentes – beijo pra você que ainda é), vocês estavam lá, partilhando das minhas pequenas aflições e felicidades. Convenhamos que vocês, lendo o meu blog, têm todas as armas possíveis para me fazer sofrer. Vocês sabem que eu detesto fígado, alho e gente metida. Vocês sabem o quanto eu amo Weslley e o quanto ele me faz feliz. Era só adicionar uns e tirar o outro que vocês veriam a minha desgraça total e completa.

Essa é a hora que eu deveria estar com medo, né?

But I’m not. Desculpa, gente, mas em 7 anos de vida blogueira, conto nos dedos as dores de cabeças que a vida blogueira me deu – e nem que eu contasse nas células do corpo conseguiria mensurar o quão feliz ele me fez. Todas as amizades lindas que conquistei, estou conquistando e, com certeza, ainda conquistarei jamais ganharão das picuinhas que aparecem eu tudo quanto é lugar por tudo quanto é razão. Eu não tenho medo. Não tenho nenhum receio. Obviamente, acho irritante algumas pessoas que conheço pessoalmente – algumas, tá gente, BEM ALGUMAS – lerem o meu blog. Mas no sentido do constrangimento e não do medo que a pessoa vá usar alguma informação daquela contra mim. POR QUE OLHA GENTE, não é só aqui que eu falo demais. Uma pessoa relativamente simpática que conversar comigo uns 20 minutos vai ficar sabendo muito coisa sobre mim – nada como meu endereço, telefone ou coisa assim, mas algo como o presente que ganhei do namorado, o quanto o cheiro de fígado é odioso e o livro que eu estou lendo no momento.

Então, no fim das contas, não faz muita diferença. Deixar de falar tanto sobre mim na internet não vai rolar. Primeiro, por que eu sou egocêntrica. Não, não se iludam achando que sou daquelas super altruístas. Poucas pessoas conseguem me inspirar altruísmo. Na maior parte do tempo gosto mesmo é de mim  e de falar de mim, como a maioria das pessoas normais. E o meu blog, querendo ou não, ajuda nisso. Até por que, HAJA ALUGUEL DE OUVIDO. Quem que ia aguentar tanta lenga-lenga? Só vocês, mesmo, meus queridos leitores. Segundo, eu quero ser lida. Mas do que ser escutada. Ser lida. Como a maioria das minhas amigas blogueiras, eu quero ser escritora – quem sabe até publicada e lida! Enquanto meu sonho não se realiza, vou me virando por aqui, do meu jeito.  E terceira e última razão: aqui posso dizer o que quero sem quase ninguém ler. Ok, outro dia vi que 76 pessoas assinam meu feed – se não for isso, culpem o GR, ele que mentiu pra mim – e, possivelmente, me lêem regularmente. E por mais que saber que 76 pessoas se dão ao trabalho de ler, frequentemente, minhas palavras – quase sempre bobas e inúteis – alegre meu coração, isso não faz do meu blog um IT BLOG, né? O que, de certa forma, me faz feliz. Ainda posso reclamar da minha mãe, da mulher que pisou no meu pé e ainda reclamou e da saudade de Weslley.

A propósito, amor: não adianta. Nunca vou deixar de ser essa vida escancarada que você nasceu pra amar. Nem aqui nem em canto nenhum. Mas, se serve de consolo, saiba que você nunca sai da minha boca, do meu pensamento ou dos meus dedos digitando esse fool post.

 

 

Anúncios

7 thoughts on “AQUELE livro aberto: eu.

  1. Caraca Mandie [olha a intimidade, cough cough] eu já acessava seu blog esporadicamente, mas tenho orgulho em dizer que fui uma das 76 pessoas que assinaram seu feed semana passada, e fico pulandinho de alegria cada vez que vejo que tem post novo aqui!

    Continue assim sendo esse livro escancarado, que como você mesma disse vai te render muito mais sorriso e alegrias do que dores de cabeça.
    Seu blog é lindo e eu não acho seus posts foolish at all! 😀

    Beijo Grande!

  2. Eu que gosto conhecer as pessoas, adoro teu blog. Pra mim ele é um I BLOG sim. haha
    Todo mundo é egocêntrico, nem que seja um pouquinho e quem diz que não, tá mentindo.
    Compartilho do mesmo desejo de ser escritora. Um dia chegamos lá! 🙂
    Beijo.

  3. Eu tentei ficar afastado da blogosfera porque a única vez que tive dor de cabeça, desisti de primeira. Voltei logo em seguida, mas tava sem ânimo, sem vontade de ficar por lá. Sumi. Um ano fora.

    Agora, com meu blog novo e uma energia daquelas pra continuar, eu me sinto como na época das antigas, ao mesmo tempo em que tenho vontade de colocar novidades no papel. Coisa de blogueiro. Vai entender, né?

    Beijo!

  4. Onde eu assino? Eu também sou um livro aberto. Meu pai fala que eu falo demais no blog, mas o blog, realmente, só me trouxe coisas boas. E você é uma delas, claro. Minha amiga pernambucana querida! Eu tomo susto quanto as pessoas que conheço dizem que leem, mas também, pouca diferença faz, porque sou como você. Em 20 minutos de conversa as pessoas já sabem bem mais do que deveriam. That’s me. Outro dia na aula de teatro eu fiquei ROXA de vergonha, porque a Airen falou: “Aninha, eu li no seu blog sobre o seu compadecimento com as margaridinhas, então pode despetalar menos, e mais devagar. Você acabou me fazendo ficar com dó delas também.” Ai eu roxa, sem palavras na sala. E ela: “Que foi minha Flor? Eu leio o seu blog, sabia? Eu gosto dele”. Ai eu com cara de: OK, PELAMORDEDEUSMUDADEASSUNTO. Hahaha, mas no fundo eu adoro. Quem nasce pra livro aberto não consegue se transformar em cofre. Eu posso me ferrar por isso um dia? Quem sabe. Mas sou é feliz!
    Beijos!

  5. Também quero assinar! Onde é, onde é?
    Adoro o teu jeito de escrever, seja o que for =)
    É tão legal parar de fazer as obrigações de vez em quando e ler teus posts!
    Sério, acho que você vai longe.
    Nem lembro direito onde foi que eu vi o link do teu blog (acho que foi no facebook de Thiale, da tua sala, uns meses atrás), mas lembro que “favoritei” ele assim que conheci. O engraçado é que parece que eu te conheço, mesmo que não tenhas ideia de quem sou eu ^^
    Enfim, prazer – meu nome é Olga.

    Beijo.

  6. Tô adorando ler seus posts, principalmente das coisas diárias da sua vida, tu também escreve muito bem o que ajuda pra aumentar minha vontade de ler, e olha que nem sou de ler muito os blogs e pá, mas teu blog me chamou muito a atenção pelo jeito amigo que tu posta e compartilha pra teus leitores, e nossa, 7 anos de blog! Quero muito chegar até aí, concordo contigo, nó levamos muitas amizades legais pra tipo a vida toda… enfim, parabéns por tudo poxa, tais se tornando como um exemplo de blogueira para eu seguir. hihi *-*

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s