To be a corselet user or not to be corselet user: that’s the question.

Esse post foi escrito no meio do ano passado, SO é bem óbvio, pra quem me conhece, que esse tipo de constrangimento já não se aplica a mim. We change.  E eu queria publicar esse post.

Então, você sabe que não tem nada a dever em algumas situações específicas da vida. Uma coisa que eu sempre tive vontade de fazer só para saber a sensação é comprar camisinha. E não qualquer camisinha, mas uma daquelas bem interessantes. Tipo, com sabor ou com aquelas características específicas – uma vez vi uma, acho que da Jontex, que esquentava e outra que esfriava, rs – de deixar os cabelos dos pudicos de plantão em pé. Então. Mas vocês já devem saber que eu simplesmente ainda não tenho colhões para isso. Por que tem aquela velha psicose: imagina se a menina da farmácia é filha e uma amiga da minha mãe e aí a amiga da minha mãe está vendo o meu orkut e a menina diz que me viu comprando uma camisinha super quinthura na farmácia onde ela trabalha e a mãe dela conta pra minha mãe, que me dá um carão e ainda conta pro meu pai?! Tudo bem, talvez minha mãe não me desse um carão por comprar camisinha, mas eu não quero que meu pai saiba que eu faço sexo. Gente, não rola. Mas estou divagando. Nem era sobre isso que queria falar, exatamente.

A verdade é que, assim como comprar camisinha, comprar um lingerie bem sexy é uma atitude completamente confessatória e, claro, só pessoas que realmente não tem nada a declarar para ninguém podem fazer esse tipo de compra sem olhar pros lados umas trezentas vezes. A questão é que lá estava eu, na C&A, super procurando um presente para Weslley – o aniversário dele é dia 23 desse mês, ele estará ficando mais velhinho, meu amorzinho – quando passei pela nova linha de lingerie das Pussycat Dolls. Bem. Parei na hora. Tinha um corselete simplesmente lindo, todo cheio de transparências, brilhos e essas coisas que sempre têm nessas lingeries sexies. I’ve spent simplesmente um século na frente do bendito corselete, pensando nas consequências de levá-lo (ou não). Por fim, decidi, enquanto o enfiava furtivamente na sacola de compras, que não custava provar. Pois bem. Entrei no provador, depois de passar pelo olhar no mínimo curioso da garota da porta, que fica pegando as roupas e nos dando fichas. Claro que me senti poderosíssima dentro daquele pedacinho transparente de underwear, mas né? Sempre tem um mas né. E, venhamos e convenhamos, COMO eu ia simplesmente vestir aquilo lá sem pedir ajuda a ninguém? Quero dizer, eu até poderia não pedir ajuda a ninguém, mas não é como se na minha casa desse para esconder algo como um corselete! E quando eu fosse lavar? Impossível ter um corselete sem fazer as outras pessoas pensarem coisas sobre você. E aí iam começar a pensar que eu tenho uma vida sexual. E eu, por enquanto, prefiro que meus pais pensem – ou pelo menos não tenham provas concretas do contrário – que eu sou um ser relativamente calmo, sexualmente falando. Não é por nada não, mas já sou problemática o bastante sem minha mãe querer trocar figurinhas comigo ou meu pai me ignorando completamente por eu ser uma garota saudável em todas as áreas da minha vida – inclusive nessa grande área (ainda) tabu. Enfim, gastei mais uns 15 minutos – sem exageros – pesando prós (!) e contras (!!!) de ser uma usuária de corselete. Ao final dos quais, é claro, optei pela opção bunda-molenga de deixar o corselete pra lá.

Não é todo mundo que está preparado para enfrentar com coragem com olhares recriminadores de caixas da C&A. Quem sabe da próxima vez.

Anúncios

21 thoughts on “To be a corselet user or not to be corselet user: that’s the question.

  1. Ta vendo! se fosse comigo do lado tu comprava hauahuhauhauha. Me lembrei agora de te levar pro mal caminho do consumo justamente na C&A e justamente neste seção uahuahhahahua.
    Adorei o texto, como sempre divertídissimo de ler!
    Bjos!

  2. confesso que já comprei lingerie sensual e andava com ela pra lá e pra cá dentro da bolsa (num saquinho, claro) por não ter como deixar em casa e dar a entender que eu realmente usava l-i-n-g-e-r-i-e-s-e-n-s-u-a-l. é um problema sério, esse!

  3. Eu sou muito tranquila em relação a isso, apesar de assustar as pessoas ainda mais, pois o motivo do susto é: por eu ter cara de ter uns 15 anos ou menos e com isso as pessoas julgarem que eu não teria idade o suficiente para pensar nessas coisas OU por eu ter a cara de menina doce-santinha que não faz essas coisas.
    Mas não me importo, eu sei o que faço, porque faço e quando faço, e sei que já tenho idade suficiente para o fazer. (:

    Mas realmente, isso de morar com os pais é mais constrangedor, compreendo. Então nesse momento vale a esperteza: chega em casa com uma cara toda espontânea e risonha e diz na mesa do jantar/almoço “olha só mãe/pai/irmão/avó que amiga mais sem noção a minha -risadinhas forjadamente descontraídas- me deu isso de presente na frente de um monte de gente só pra me sacanear e fazer vergonha! há, vou fazer essa brincadeira com alguém também, é ótimo pra zoar o pessoal!”
    – guarda a lingerie no fundo da gaveta, lava na pia do banheiro e seca em um lugar escondidinho. E se alguém pegar é só dizer, com a descontração forjada novamente, claro(!) “aahh, eu tinha que lavar né, ganhei, mesmo não vendo muita utilidade vou usar, né, vou deixar esse treco estragar?” assobios descontraídos e lálálá.

    :p

    p.s: Adoro o jeito como você escreve. (: E desculpe por comentar um jornal! 😐

  4. Olha, uma vez eu e minhas amigas tínhamos saído do curso de passarela rumo ao shopping. Na C&A encontramos essa coleção Pussycat.
    Tipo assim, achei muito “roupa de mulher vagabunda”, porque né? Sinceramente. Mas também era conversa de três solteironas. Pegamos os corselets “menos xxxamativos” e fomos experimentar.
    Ainda assim, achei demais. Mas compro. Se for básico e der para usar dentro de um casaquinho, porque não?
    Bjos!

  5. Dependendo do lugar como Riachuelo, Marisa, C&A, Loja no Shopping daí eu compro de boa. Desde que não seja aquelas lojas: “S…x Shopping” eu compro sim.

    Compro e escondo a sacolinha e pronto! rs..

  6. Uns amigos me dizem que é sempre bom ignorar os meus conselhos, por via das dúvidas, mas nesse caso eu diria pra você se jogar no que você gosta – seja uma camisinha que esquenta ou um corselete EXcândalo – porque nada, nem mesmo a sua mãe te dando carão, paga a sensação de ter ‘aquilo’ no armário.
    Ou pelo menos eu espero que seja isso mesmo.

  7. Acredita que já vivi a mesma situação? AH, dã, é claro que você acredita. É claro que nós, mulheres principalmente, precisamos sentir esse medo alguma vez na vida. Somos sempre tão julgadas e etc…
    Pois bem, a maior felicidade que senti, após ler seu texto – sempre delicioso – foi quando você disse, logo acima, que tinha mudado e que isso não seria mais um problema.

    Da próxima vez pode me chamar, posso te ajudar na escolha, rs.
    Beijo, linda!

  8. HAHAHAHAHA
    Tô imaginando você na C&A, segurando o corselet por uns 15 minutos com cara de reflexão. Eu acho essas lingeries mega bonitas, era apaixonada pelas que a Eunice, da novela, usava pra catar o Ismael. Só luxo!
    Uma sugestão é essa da Nina, comprar um mais basico que é usável com roupas normais, tipo por baixo de uma jaqueta ou um casaco.
    Beijo

  9. Esse tipo de medo se aplica perfeitamente a mim. haha Comprar roupas intimas mais sensuais e entrar na farmácia pra comprar preservativo é meio constrangedor principalmente porque você fica com a impressão de que todo mundo vai reparar >.< Mas acho que não, né? Agora com a família já é diferente… Principalmente dentro das mais conservadoras, o que é meio absurdo, né… Afinal, não é nada do outro mundo. ;D

  10. Cade as assistentes pra nos ajudar a amarrar os corselets? hahaha
    Eu não tenho vergonha de comprar camisinha, mas fico mais pensando no caso de comprar a errada. É igual roupa, tem tamanho, preferência do tecido, cor, hahahha.

  11. Nossa, já passei por essa de olhar trezentas vezes pros lados antes de decidir comprar ou não essas coisas. Hoje já sou bem tranquila e ainda faço isso com a minha mãe quando posso. Da última vez fui atrás de cinta-liga com a minha mãe e uma dessas ajudantes ficou olhando com aquela cara de “Mãe e filha? Devem ser (insira aqui qualquer coisa vista como vulgar)”. Quando não ligamos tiramos sarro com esse povo cheio de tabus.

    Adorei o post :*

  12. oie amanda!
    tudo bom? menina, adorei o texto… hahaha! fiquei imaginando a tua situação, segurando o corselete na mão enquanto mil dúvidas surgiam na tua cabeça… eu nunca comprei nada de lingerie mais ousada, sou bem sem graça em termos de lingerie… prefiro as mais confortáveis! até porque nunca me senti completamente à vontade de usar um traje um pouco mais sexy com meus namorados, então até hoje, nunca comprei e nem usei nada disso. nem corselete, nem espartilho e cia limitada. uhauahauhua! mas quem sabe chega o dia! mas acho que se você tem vontade, tem que mais é comprar mesmo! não fica com vergonha, não. e sobre a questão sexo, é melhor que seus pais saibam o quanto antes por você mesma do que por outra pessoa, assim como tua psicose revelaria. mas você que sabe, né? tudo ao seu tempo! =P
    beijo, beijo!
    ps.: essas camisinhas da jontex de quente e frio são legais, mas não fazem diferença nenhuma! hahaha! =P

  13. Eu sou tímida pra cacete apesar de não parecer e morro de vergonha de certas coisas. Sempre compro lingerie e essas coisas, mas é tudo no estilo “Victoria” ou seja: rosa e fofo. Gosto muito de lingerie preta, e por muito tempo ficava com vergonha da minha mãe pela minha preferência pq sou de uma época que lingerie preta era “vulgar”.

    Agora tensão mesmo eu passei com outra situação, que eu te conto depois no talk HAHAHA

    =*

  14. As moças da C&A provavelmente pensariam que vc sim é uma mulher decidida, e invejariam a sua coragem de comprar o Corselet.

    Mas é foda. A gente vive numa sociedade machista pra caralho, e mesmo assim estamos moldados a pensar nos pecados de expor a nossa sexualidade. Pra vc ter ideia, na farmacia que eu trabalho, as meninas morrem de vergonha de comprar até anticoncepcional. Chegam todas com a cabeça abaixada quando quem as atende são homens. E saem quase correndo depois que pegam a caixinha… Aplica injeção então…

    Não sei pq as pessoas não pode assumir a sexualidade. Pq isso é tão vulgar.
    Vulgar pra mim é ouvir pagode com o auto falante do celular num onibus lotado. É não passar desodorante ou deixar baba escorrer no canto da boca.

    Fazer sexo é normal e todo mundo faz.

    Mas mesmo assim, venhamos e convenhamos, apesar da minha liberdade sexual, prefiro ser na visão dos meus pais, um ser assexuado.
    Ha

    🙂

  15. Hauheuahuea, adorei o texto! Confesso que me identifiquei bastante, nesses momentos de partir para um vestuário, digamos, mais ousado, eu geralmente deixo pra lá pelos mesmos motivos que você. Não estou segura se quero plantar idéias na cabeça dos meus pais ou virar piada para os meus irmãos. Quem sabe num futuro, quando eu for totalmente dona do meu nariz (entenda, morar sozinha) eu pense sobre isso. Ah, sim, e enfrentar os olhares dos caixas não é lá muito fácil. XD

    Adorei o blog! Beijo!

  16. Eu com 23 anos (e 6 de namoro) ainda não me sinto à vontade em relação a esses assuntos :S
    Aquela coisa de “e o que vão pensar de mim”, sabe? Isso não tá com nada, eu sei.. Mas não consigo D:

    Enfim, gostei muito do texto (curto bastante o seu jeito de escrever! ^^)

  17. Poxa, eu não tenho vergonha das moças do caixa, nem do provador, nem nada… mas fico com medinho do que mamãe vai falar pra mim se eu chegar com algo assim em casa (e, oi, tenho 23 anos)… Anyway, tô pondo aos poucos na cabeça dela que cinta-liga faz bem pra mulher, pq deixa tudo “fresquinho” e tals (ahaha, vi num programa!) pq, oi, tô doida pra comprar uma e me fazer de gostosona! hahaha
    Mas, sério, eu viajo muito com meu namorado, desde, tipo, 1 mês de namoro. Não tenho a ilusão de que meus pais acham que não acontece nada… então é mais só pra evitar uma conversa chata ou um olhar que me reprima. Queria ter “as moral” de chegar em casa com um corseletão todo piriguete =P
    Beijos!

  18. Me identifiquei com o blog. Acho que achei outra velha rabugenta. =)

    Não, agora me diz. Todo esse sentimento de tensão, todas essas pessoas envolvidas (mesmo que numa situação que aconteceu apenas na nossa imaginação), todo esse transtorno pra… O CARA TIRAR O CORSELET EM 5 SEGUNDOS.

    Olha, tá fácil pra ninguém.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s